Minas Texas, 1989

   Nos anos 50, a mitologia dos astros e estrelas de Hollywood dominava a imaginação popular e incendiava os corações de adultos e crianças. Num período de trinta e tantos anos tudo mudou em nossas terras, como o Texas depois do petróleo. Só uma coisa resiste à passagem do tempo: a fantasia romântica de Januária pelo peão de rodeio Roy, imagem de herói americano como que saída da tela.

   No "flash-back" que ocupa a maior parte do filme, conta-se como a bela e desejada donzela foge no altar ao destino do marido imposto pelos pais, forma um bando próprio para lutar contra a quadrilha a serviço do noivo e torna-se fazendeira e mulher de quatro homens enquanto espera o amado que nunca chega.

   Roy Pereira, Tony Abreu, Minas Texas...  

 

Produção - Sertaneja de Cinema (ex-Lua Vaga Cinema e Vídeo), com a colaboração de Milton Gontijo. Colorido, 71’, 1:66.

 

Festivais - Brasília 89 (Melhor roteiro, atriz, ator e atriz coadjuvante, fotografia e música). Fest-Rio 89 (Prêmio Pierre Kast).  Mostras – Mercosul  94 (Rio) e Cinema Brasileiro em Tróia (94).

 

Elenco - Andrea Beltrão (Janu), José Dumont (Roy e Athayde), Tony Ramos (Amorim), Álvaro Freire (General), Saulo Laranjeira (Augustão), Wilson Grey (Tony Abreu), Aída Leiner (Bel), Tino Gomes (Amantino), Paulo Rogério (Mexicano), Nelson Dantas (Seu Correia), Maria Silvia (Alda), Carlos Kroeber (Dr. Rodrigo), Elke Maravilha (Sá Generosa da Luz), Carlos Wilson (Padre), Marina Queiroz (Lia), Paulo Henrique Souto (Leonor), Tavinho Moura (Johnny Mack Bronha), Margarida Maria (Índia), Joaquim de Paula e seu conjunto). Participação especial de Antônio Rodrigues. Narração de Sérgio Prates.

 

Equipe - Produtor executivo – Carlos Alberto Prates Correia, Produtores associados – Embrafilme, Skylight e Delart, Diretora de produção – Lu Meirelles, Assistente de produção – Roberto Viana, Consultor de produção – Luiz Sarmento, Diretor de fotografia – Gilberto Otero, Assistente de fotografia – Nélio Ferreira, Cenografia e figurino – Edwiges Leal, Assistente de figurino – Adriana Maia, Costureira – Mara Lopes, Efeitos especiais – João Henrique Paiva, Assistente de direção – Jasmina Meirelles, Material de arquivo – Francisco Moreira, Música – Tavinho Moura, Montagem - Ney Fernandes, Colaboração na montagem – Carlos Brajsblat, Edição de som – Hercília Cardillo, Letreiro e Assistente de montagem – Claudia Veloso, Som direto – Walter Goulart, Eletricistas – Ilmo Rodrigues, Elmo Rodrigues e Valdemir Cunha, Assistente de 2ª câmera – Marcelo Rocha, Dublagem – Delart, Sonoplastia – Antônio César, Música – Bemol, Mixagem – Álamo.

 

Roteiro e direção - Carlos Alberto Prates Correia. 

José Dumont

The old Texas of my dreams

Cinema de Prazer - 2003:

 

Geraldinho Carneiro (poeta) - Minas Texas me encanta desde o título, que parodia o filme do Wim Wenders, tido por alguns diretores brasileiros como rendição à lógica de Hollywood, o que não é verdade. Paris, Texas é um filme primoroso. Mesmo não tendo se arrematado com uma linguagem narrativa, sua paródia tem elementos muito curiosos, uma sintaxe curiosíssima, divertida, inteligente, que me agradou bastante.

Hernani Heffner (pesquisador) - Me encanta uma série de coisas no filme, as relações que ele tece entre um certo cinema americano de prazer, de alegria, de bem-estar...

Vera Barroso (apresentadora) - Aquelas cenas em preto-e-branco são de filmes conhecidos?

Textos e artigos:

Copyright © 2013 Sertaneja de Cinema. Todos os direitos reservados.